Café da cultivar Arara se torna o Geisha brasileiro

Café da cultivar Arara se torna o Geisha brasileiro



A cultivar de café Arara tem produzido grãos de alta qualidade de bebida, por isso ela tende a ser considerada como o café Geisha brasileiro.

A comparação é importante, pois a variedade Geisha, de origem de uma região, do mesmo nome, da Etiópia, produz cafés mundialmente reconhecidos, como de superior qualidade, obtendo prêmios em diversos concursos internacionais.

A cultivar Arara tem sido muito plantada ultimamente, pelas suas boas características de produtividade e resistência. Na maioria dos ensaios os cafeeiros dessa cultivar sempre se destacam e lideram como os mais produtivos. Eles têm, ainda, mostrado imunidade à ferrugem e boa tolerância à Phoma e à Pseudomonas. Além disso, apresentam frutos grandes e grãos de peneira alta. A surpresa maior, entretanto, está na qualidade da bebida dos seus cafés, que vem sendo observada, nesses últimos anos. Eles apresentam bebida limpa e adocicada e em diversos concursos os cafés Arara têm apresentado pontuações altas, muitas vezes superiores a 90 pontos na escala da BSCA, o que é uma coisa excepcional.

Sabe-se que a qualidade do café não depende apenas da variedade plantada, tendo influência, também, do ambiente de cultivo e do preparo pós-colheita. Em altitudes elevadas o café tende a dar melhor bebida, mais complexa e aromática, pois o processo de desenvolvimento e maturação dos frutos fica alongado, assim tendo mais tempo para o acúmulo de substâncias ligadas à qualidade, sendo que a microbiota local também tende a influir. A cultivar Arara, pela característica de maturação tardia dos frutos, facilita nesse aspecto de altitude, tanto assim que tem sido obtidas pontuações de bebida muito altas mesmo em altitudes normais, por exemplo, ao redor de 900-1000 m.

Já, a variedade Geisha foi experimentada no passado, por possuir alguns fatores de resistência à ferrugem, mas, na época, foi relegada, devido não apresentar características produtivas adequadas. Novos plantios, em pequena escala, vêm sendo feitos, para produção de cafés especiais, pois apresentam notas de frutas maduras. Porém, sua produtividade, mais baixa, pode dificultar a rentabilidade da lavoura, apesar do eventual preço maior que venha a ser obtido dos seus cafés. Além disso, o porte alto das plantas dificulta seu manejo. É possível que, com podas, especialmente no sistema safra zero, possam ser obtidas maiores produtividades nesse material.

Deste modo, a indicação, para plantio, da cultivar Arara é apropriada, pois combina várias características positivas. Tanto assim, que sua aceitação pelos produtores tem sido grande. Só nessa última safra estima-se a comercialização de mais de 30 toneladas de sementes dessa cultivar, o que representa a formação/plantio de 60-80 milhões de mudas. As sementes de arara estão representando, já, 50-60% da quantidade, em relação a todas as demais variedades comercializadas.

Fonte: Fundação Procafé (Por J.B. Matiello, S. R. de Almeida e L. Bartelega -Engs Agrs Fundação Procafé e J.R. Dias, Lucas Franco e Hernane de Souza, Engs Agrs Fdas Sertãozinho)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

11 Simpatias com café para afastar o mal e trazer um amor próspero

Secex: exportações de café em janeiro alcançam 1,255 milhão de sacas

A classificação do café: Tipo, bebida, cor, torração, descrição, peneira