Conheça Todos os Tipos de Grãos de Café

 

Conheça Todos os Tipos de Grãos de Café


O que não pode faltar no dia a dia do brasileiro é o famoso “cafezinho”. Mas o que a maioria das pessoas não conhece é que existem vários tipos de grãos de café com sabores e aromas diferentes.

Saber disso é interessante pra você poder ter mais opções na hora de escolher o café desejado, poder distinguir os diferentes sabores e ainda aumentar o seu conhecimento.

Existem duas variedades principais de grãos de café no Brasil: Arabica e Robusta.

Veja os 39 principais tipos de grãos de café

Café Arabica

O café Arabica abrange cerca de 70% dos grãos de café total no mercado. Sendo de boa qualidade, possui 50% menos cafeína e sua superioridade supera o café Robusta. Somente ele é utilizado em cafés gourmet e especiais. Sua origem é oriental, o que também influenciou no seu nome.

Café Robusta

Também conhecido como Canephora ou café do Congo, o café Robusta é responsável por 27% da produção no mercado mundial. Devido o baixo valor dos grãos e acidez baixa, ele é usado como base do café instantâneo. É um café brasileiro e o sabor é forte e amargo.

Entretanto, por meio do processo de cruzamento ou enxerto surgiram grãos de café variados, que são mais resistentes, com alta produção, aroma, doçura e corpos diferentes. São eles:

Typica (Café arabica L. ‘Typica’)

Este tipo, apesar de ser uma das primeiras variedades de café a ser descoberta, ainda é o café mais produzido no mundo inteiro.

  • Sabor: amargo
  • Origem: Ásia e América latina

Bourbon (Café arabica L. ‘Bourbon’)

É considerado um dos melhores para criação de cafés gourmet. Possui produtividade inferior e geralmente é mais vulnerável à contaminação.

  • Sabor: adocicado, com aroma intenso e textura achocolatada.
  • Origem: Antiga ilha Bourbon (atualmente chamada de Ilha da Reunião)

Café selvagem (Café racemosa Lour)

A planta é de pequeno porte com muitas folhas. O fruto é vermelho com sementes de café pequenas.

Origem: Etiópia.

Blue Mountain (Café arabica L. ‘Blue Mountain’)

Outros nomes: tafetá jamaicano, cafeína do Quênia.

  • Sabor: ácido, alta qualidade.
  • Origem: Jamaica. Atualmente cultivado principalmente no Havaí e Quênia.

Café Kona

Ideal para quem gosta de café gourmet, Sendo um dos mais apreciados no mundo inteiro. Seu plantio é ideal em regiões próximas a vulcões devido ao solo e clima quente.

  • Sabor: Refrescante, um pouco cítrica com textura encorpada.
  • Acidez: Leve a média
  • Cultivo: Kona no Havaí

Café Quênia AA

O café da Quênia se destaca pela produção cuidadosa dos cultivadores que passa por um processo de controle que não se compara a ninguém.  O governo incentiva os produtres a cultivarem um café de alta qualidade com recompensa. AA é o maior grão de café, seguido por AV. Na Quênia, quanto maior o tamanho maior o sabor do café.

  • Sabor: Os cafés da Quênia são famosos pelo seu sabor doce e ácido.
  • Cultivo:  Terras altas da Quênia e no lardo da região de Monte Quênia. O rico solo vocânico, a clima e a chuva são os fatores importantes para produzir um café forte e equilibrado.

Peaberry da Tanzânia

Tanzânia é um país de leste Africa localizado entre Quênia, Mozambique e Congo. O peaberry é um grão de café que está dentro da fruta. Uma fruta comum contém dois grãos de café enquanto o peaberry é um grão só. Por ter uma forma redonda, os grãos são mais densons e precisam ser torrado de forma uniforme.

Somente 5% dos grãos de cafés são peaberry. A seleção do café requere um preço de mão de obra mais alta.

  • Gosto: Um leve acidez e frutificado.
  • Cultivo: Tânzania

Sulawesi Toraja da Indonesia

Sulawesi que antigamente era conhecida como Celebes, é uma ilha indonesiano de leste do Borneo. Toraja é o nome do grupo de pessoas que cultivam o café na região. O café é normalmente cultivado por familias na ilha. Muitas familias cultivam o café nas suas propriedades para ter uma fonte econômica extra. Portanto, a infraestrutura de café na região não é forte.

  • Origem: Indonesia
  • Sabor: Doce e completo com baixa acidez.

Café Geisha da America Central

Não existe nada igual aos grãos de café geisha da America Central. O café pode ser cultiva em qualquer área mas a Panamá e Costa Rica são países famosos por sua cultivação. O café geisha foi originalmente descoberto na Etiópia, perto da cidade da Gesha e foi trazido para o Panamá na década de 60.

  • Origem: Panamá e Costa Rica
  • Sabor: O café geisha tem um gosto único que se parece com um chá, com característica de tom claro e sabor ácido como mango, pêssego e jasmin.

Timor Hybrid

Em um cruzamento entre as espécies Arábica e Robusta. A planta é muito produtiva e resistente a doenças, sendo ideal para a comercialização.

  • Origem: Timor. Foi descoberto no ano de 1940.

Catimor

Criado em 1959, é uma mistura do café Caturra e Timor Hybrid. Sua qualidade é média, mas possui um bom rendimento além de ser resistente à ferrugem.

  • Origem: Portugal.

Caturra

A fruta dessa planta amadurece mais rápido, são mais resistentes a doenças e tem alto rendimento.
  • Acidez: alta
  • Sabor: leve

Catuaí

Foi desenvolvido a partir do cruzamento entre as espécies Novo Mundo e Caturra. Sua característica predominante são os grãos amarelos (Coffea arabica L. ‘Catuai Amarelo’) e vermelhos (Coffea arabica L. ‘Catuai Vermelho’).

Sabor: adocicado, possui acidez média e é um café leve.

Congencis (Café Congencis)

Foi desenvolvido do café branco do congo. A qualidade do café Congencis é muito boa, entretanto seu rendimento é baixo não sendo o ideal para comercializar.

Café Liberiano

Conhecido como café liberiano, é cultivado na Libéria, Malásia e Costa do Marfim. Sendo responsável por cerca de 1% das vendas de café no mundo.

  • Sabor: amargo
  • Acidez: alta

Excelsa (Café Excelsa)

Foi descoberto em 1904, e sua característica é o alto rendimento e boa resistência a doenças. Os grãos envelhecidos conferem um sabor diferenciado ao café, porém muito apreciado.

  • Sabor: agradável e um aroma muito gostoso.

Dybowskii (Café Dybowskii)

Não é indicado para a comercialização.

  • Origem: grupo de Eucoffea da África inter-tropical.

Kent

Sua principal característica é o alto rendimento, mas apesar de ser resistente a ferrugem é vulnerável a várias doenças.

  • Origem: Mysore na Índia e cultivo é na África Oriental.

Laurina

Café de boa qualidade, resistente à seca porém com baixos rendimentos.

Kouillou

O nome foi inspirado em um rio no Gabão em Madagascar.

Mauritiana (Café Mauritiana)

Não é indicado para ser comercializado.

  • Sabor: amargo

Maragogipe – Maragogype (Café arabica L. ‘Maragopipe’)

Também chamado de café elefantem, este tipo é uma variação de Coffea Typica descoberta em 1844.

  • Origem: Maragogype na Bahia

Mundo Novo

A planta atinge cerca de 1070 m a 1525 m, possui um bom rendimento e é bem resistente a doenças. É o resultado do cruzamento entre os cafés Typica e Bourbon. No Brasil, se tornou muito popular.

  • Origem: Brasil

Paca

Possui qualidade inferior.

Origem: El Salvador, também se tornou muito popular na América Latina.

Neo-Arnoldiana

Seu cultivo é feito principalmente em algumas regiões do Congo, apesar do seu alto rendimento não é indicada para o comércio.

Nganda (Café canephora Pierre ex A. Froehner ‘Nganda’)

Outros nomes: Nganda ou Kouillou.

Pacamara

Café Pacamara é o resultado do cruzamento entre Maragogipe com Paca. Sua criação se deu no ano de 1960 e o grão é cerca de 75% maior em comparação com grãos de café médios.

  • Sabor: amargo
  • Origem: El Salvador

Pache Colis

  • Esse café foi desenvolvido a partir de plantas do café Caturra e Pache.
  • Origem: Guatemala

Purpurescens

Sua principal característica são as folhas de cor roxas.

Pache Comum

Pache Comum é um café versátil se adapta bem a qualquer tipo de solo.

  • Sabor: suave
  • Origem: Santa Rosa na Guatemala

Racemosa (Coffea Racemosa)

Esse tipo de café perde suas folhas durante o verão e elas crescem no período de chuva.

  • Sabor: Relativamente ruim não indicado para o comércio.

San Ramon (Coffea arabica L. ‘San Ramon’)

Esse café é uma versão do arábica típica. Seu tamanho é mediano, porém bem resistente ao vento e à seca também sua produção em grande escala.

Ruiru 11

Foi criado na estação de pesquisa do café e passou a ser consumido a partir de 1985. Ruiru 11 é resistente a doença do café e a ferrugem. Sua produção é em grande quantidade.

  • Origem: Ruiru no Quênia.

Villalobos

Villa Lobos foi desenvolvido a partir do San Ramon e sua variante ainda está em teste.

  • Origem: Costa Rica

Icatu

Café Icatu é a junção dos cafés híbrido de Timor e Caturra. Possui fruto amarelo, sua planta é bastante resistente e ele se adapta bem a qualquer tipo de solo.

Baron Goto Red

  • Sabor: parecido com ‘Catuai Red’.
  • Cultivo: Havaí

Caracol / Caracoli

Seu nome diferenciado é derivado da palavra Caracollilo (espanhola) que traduzida significa concha.

Timor Hybrid

Em um cruzamento entre as espécies Arábica e Robusta. A planta é muito produtiva e resistente a doenças, sendo ideal para a comercialização.

  • Origem: Timor. Foi descoberto no ano de 1940.
Fonte: Grãos de Café: Saiba os 39 Principais Tipos de Café! (biosom.com.br)

Na Café Especial Brasil você pode escolher seu café por variedades. Qual você prefere?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

11 Simpatias com café para afastar o mal e trazer um amor próspero

Secex: exportações de café em janeiro alcançam 1,255 milhão de sacas

A classificação do café: Tipo, bebida, cor, torração, descrição, peneira